Take a fresh look at your lifestyle.

‘Simulei que estava armado’, diz suspeito de matar um e ferir três no Carnaval

Caroço, como é conhecido, tem passagem pela polícia por tráfico de drogas

Suspeito de ser o autor dos tiros que feriram três pessoas e também mataram o mecânico Jeferson São Pedro Almeida, 21 anos, na sexta-feira de Carnaval, no Circuito Osmar (Campo Grande), Edmilson Silva dos Santos Júnior, conhecido como Caroço, foi apresentado na manhã desta quinta-feira (7), na sede do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), na Pituba.

Jeferson Almeida estava na companhia da esposa curtindo a folia, quando levou um tiro no peito. Ele teve a morte cerebral confirmada nessa quarta-feira (6). As demais vítimas já receberam alta médica.

A confusão que gerou os disparos e resultou na morte de Jeferson ocorreu momentos antes da passagem do bloco Olodum pela avenida, nas proximidades da Casa D’Itália. Ao ser apresentado para a imprensa, o suspeito negou o crime.

“Eu não atirei em Jeferson, conheço ele e jamais faria isso”, declarou Edmilson no momento da apresentação.

Além de negar ser o autor dos disparos, ele garante que, no momento da confusão, estava tentando fugir e se defender.

A polícia, no entanto, refuta a versão de Edmilson. “As imagens são claras, mostram ele a todo momento procurando seu alvo. Ele diz que não, que queria se esquivar da briga e da confusão. Não é isso que as imagens mostram”, disse Clelba Teles, diretora adjunta do DHPP.

As imagens citadas pela diretora foram, inclusive, utilizadas pela equipe da Polícia Civil para identificar Edmilson e os demais suspeitos envolvidos na confusão. No vídeo, gravado pelo sistema de monitoramento da Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA), é possível ver Edmilson vestindo bermuda e uma blusa branca e mantendo a mão por baixo da camisa, segurando o que parece ser uma arma de fogo.

Questionado sobre os registros, o suspeito alega que usou a estratégia para tentar fugir da briga.

“Eu não atirei. Só simulei que estava armado. Era muita gente vindo para cima, eu queria inibir”, disse.

Apesar de negar as acusações, Edmilson se apresentou por conta própria no início da noite dessa quarta-feira (6) na sede do DHPP, acompanhado da mãe. O suspeito já tem passagem pela polícia por envolvimento com o tráfico de drogas na região da Gamboa.

Fonte:Correio24horas

Compartilhe:
Comentários
carregando...
WhatsApp Whatsapp da TV Liberdade