Após passar França e Alemanha, Brasil tem recorde de novos casos de Covid-19

Um dia depois de ultrapassar França e Alemanha, se tornando o quinto país do mundo com mais casos confirmados do novo coronavírus, o Brasil registrou o maior número de novos casos para um único dia desde o início da pandemia. Segundo o Ministério da Saúde, são 11.385 novos casos de Covid-19, elevando o total para 188.974 casos.

O número de novas mortes registradas, 749, é o terceiro maior desde o início da crise. Ao todo, segundo o balanço oficial do governo federal, 13.149 brasileiros já perderam a vida em função do novo coronavírus.

De acordo com a pasta, 78.424 pessoas já se recuperaram da doença e outras 97.402 estão em acompanhamento. O número de mortes ainda pode crescer. De acordo com o ministério, 2.050 óbitos já registrados estão sendo investigados, com a possibilidade de confirmação para Covid-19.

O estado de São Paulo atingiu duas marcas negativas nesta quarta: são mais de 50.000 casos (51.097) e mais de 4.000 (4.118). O Ceará ultrapassou o Rio de Janeiro e se tornou o segundo estado com o maior número de casos (19.156), com 1.389 mortes. No RJ, são 18.728 casos e 2.050 mortes. O Amazonas tem 15.816 casos e 1.160 mortes.

Coletiva

Mais cedo, a coletiva técnica realizada diariamente pelo Ministério da Saúde foi cancelada diante da falta de acordo entre o governo federal e os conselhos dos secretários estaduais e municipais de saúde sobre as diretrizes a serem adotadas para o isolamento social no Brasil.

“O objetivo era ter um plano construído em consenso. No entanto, esse entendimento não foi obtido nas reuniões conduzidas até o momento”, disse o ministério, em nota. O ministro Nelson Teich defende a adoção de um sistema de pontos, de acordo com a gravidade da situação da Covid-19 em cada estado ou município, para a alocação em um de cinco níveis de distanciamento.

Metodologia

Os números divulgados diariamente pelo Ministério da Saúde refletem os casos registrados entre os boletins pelas secretarias estaduais de Saúde, independentemente da data em que tenham ocorrido. Oscilações nos números também são influenciadas por outros dois fatores: a capacidade de testagem e a própria rotina de trabalho das secretarias.

De acordo com o ministério, os números podem ser influenciados pela resolução concentrada de diagnósticos e por feriados e finais de semana, que afetam a equipe disponível para que as secretarias processem as informações.

Por: R. Amaral | Fonte: CNN | 14/05/2020